sexta-feira, abril 20, 2007

Regeneração


Apercebi-me agora que durante este tempo que precede o tratamento, vou ter muitos altos e baixos nas minhas emoções. Andei de blog em blog e constatei que assim se passava com quase todas as mulheres que passam por esta situação. Penso que é natural passar por momentos de autêntico desespero e de tristeza profunda; momentos de tristeza pacífica e momentos de alegria, de paz interior, em que julgo estar bem comigo própria...

Acho que já passei para outro estádio de desenvolvimento nesta batalha, isto é, já não me aborrecem as pessoas que me perguntam então e os filhos não chegam?, já não penso nisso porque as pessoas não têm a obrigação de adivinhar que nós não conseguimos ter bebés, convenhamos que o normal é tê-los, não é? No entanto, ainda não consigo ultrapassar o facto de algumas mulheres engravidarem sem querer, admito irrita-me e enche-me de inveja... Espero que estes sentimentos desapareçam e quero passar à próxima fase: a aceitação e o início do tratamento.

Queria deixar uma palavrinha à Tiquinha e à Cláudia pela força que demonstraram nos últimos dias face à desilusão que ambas tiveram: vocês são o orgulho de todas as mulheres! Gosto muito de vocês, embora não as conheça! São um exemplo a seguir.

Depois deste post um pouco longo, resta-me desejar-vos bom fim-de-semana e continuem a visitar-me, já que em alguns casos não posso ser eu a fazê-lo, por causa dos blogs privados - coisa que, tal como a Tiquinha já disse - não percebo. Se estão publicados na net, deviam ser para todos não? Se não queremos que alguém leia o que escrevemos, fazêmo-lo num papel... Lembrem-se que foi a ler os vossos blogs que eu aprendi a lidar com muitos destes sentimentos contraditórios e porque informação sobre a infertilidade - o lado emocional - não há muita! Se não forem os nossos blogs, muitas mulheres vão continuar a sofrer com a incompreensão e com o silêncio. A blogosfera é a nossa voz! Pensem nisto, tá? Beijocas!

7 comentários:

Camy disse...

Enquanto lia o teu testemunha parecia que estava a ler exactamente aquilo que sinto, mas que ainda não coloquei para fora da minha cabeça.
Ás vezes penso, porque eu? Pensamento que deve passar nas cabeça de todas as mulheres que sofrem de infertilidade.
Mas tenho esperança que um dia terei a resposta, sempre ouvi dizer "Deus escreve certo por linhas tortas", por isso um dia eu hei-de saber o Porquê?

Beijos e muita coragem para enfrentar o problema, é tudo o que é preciso.

Beijos grandes camy

kitty disse...

É pena nem todas as mulheres terem acesso a este tipo de informação e acompanhamento. Tem sido mais fácil lutar depois de me sentir acompanhada por todas vós!
Beijinho e boa sorte!

espreita:
http://astresmeninasgemeas.blogspot.com/

Tixa disse...

Minha querida adorei o teu desabafo, cada palavra...conseguiste dizer o que penso e o que sinto...é muito bom saber que não estamos sozinhas.
Um bj enorme

Norita disse...

É esta troca de experiencias, de sentimentos, de força que nos ajuda nesta luta, foi isso que eu descobri neste mundo da blogesfera e por ela fiquei dependente.
Eu estarei daqui sempre a torcer por ti :)
Beijinhos grandes

Barriguitas disse...

Realmente aqui podemos dizer o que sentimos e somos compreendidas!

Boa semana.

Tiquinha disse...

:).. é um caminho duro, mas não podemos deixar de o fazer; acho que se optasemos por não o fazer iriamos viver sempre com o se.... gosto de te ver mais animada; gosto de te ver com força; eu acho que já o aceitas-te e espero quer o inicio seja breve...
obrigado pelas tuas palavras, mas não sou diferente de ninguem, e depois de uma desilusão eu acho que é melhor pensar no futuro, do que ficar a remoer no que não aconteceu, é a minha defesa...
beijocas
tica

Bem Me Queres disse...

Minha querida, obg pelas palavras. Espero que o meu testemunho de vida te ajude a continuar a acreditar que no futuro se encontra a esperança e que devemos caminhar até ele com mta, mta coragem.
Bjs docinhos