segunda-feira, julho 28, 2008

Lembranças

Um ano depois do tratamento falhado, é impossível não me lembrar dele... Vêm-me à memória frases do género: Há um ano andava eu com a barriga toda picada das injecções; Foi neste dia que fiz a punção; Por esta altura tinha feito a transferência dos embriões, e etc... Mas lembro-me sobretudo dos sentimentos aliados a este tratamento, primeiro o medo das injecções, depois a segurança quando tudo estava a correr bem e a esperança que começou a aumentar de dia para dia, enchendo-me o coração de certeza de uma gravidez. No fim, o pior de todos os sentimentos, a sensação de que tinhamos falhado, de que não tinhamos sido capazes de concretizar o nosso sonho. Seguiram-se tempos de grande tristeza, de grande desilusão principalmente. Chorei muito, senti-me ir muito abaixo, como nunca me tinha acontecido. Acabei por levantar a cabeça e enfrentar o problema, não valia a pena andar escondida a lamber as feridas e comecei a encarar esta situação de maneira diferente. Para quê continuar a sofrer?
Hoje tenho obviamente pena de não poder ter filhos, mas ao mesmo tempo não me apetece tê-los já. Não há necessidade de ser já mãe - não tenho prazo de validade! Acho que estou a aprender a ser feliz por completo sem crianças e depois quando as tiver serei ainda mais feliz. Mas custa muito, oh se custa!

9 comentários:

Maria Pereira disse...

Pois é, amiga, fomos companheiras de ttt à um ano atrás e eu fiz a minha punção no dia 22. Por esta altura foi quando me veio o período e o sonho acabou.

Não é fácil não pensar no assunto, nas datas que podiam ter sido de felicidade. Mas acho que fazes bem em tentar outras alternativas, apesar das espera ser longa, que da parte do HSM que na adopção.

E acredito que o teu dia vai chegar, que mais cedo ou mais tarde vai ter um ser lindo na tua vida que te vai chamar mamã.

Sabes que estou a concorrer a um concurso na net com o meu blog? É no site www.superbock.pt e se puderes, passa por lá e vota no meu blog.

Uma beijoca grande e boa semana

Kitty disse...

As datas ficam na memória...
É bom encontrar-te cheia de força!
Beijinho
Boa semana

Mara disse...

Amiga... Faz um ano que te "encontrei". O teu dia vai chegar, seja como for. Até lá vive a vida da melhor maneira, para ver se custa menos um bocadinho...
Uma beijoca amiga.

Angel disse...

Sei exactamente o que sentes.
Há dias melhores mas há dias que nos consomem. Eu no sabado estive bem nas no domingo foi horrivel pois onde estava na praia estava rodeada de grávidas, eu nunca tinha visto uma coisa assim, e foi a 1ª vez que fui para aquela zona de praia, seguramente ñ vou mais, senti-me num mundo á parte...
Mas temos que continuar que havemos de fazer, a vida continua, tudo continua.
Agora vou esperar por momentos bons, desejo-os mto.
Assim como desejo para ti só coisas boas! Mto boas!
1 dia amiga vamos conseguir!
Bj mto grande

Sofia Silva - Aveiro disse...

Sei o k sentes e digo-te que, não te conhecendo, te acho uma mulher a 100%. sei que depende da personalidade de cada um mas a maioria das pessoas não tem este pensamento positivo, não consegue ver o bom que continua a ter na vida. eu penso como tu, e sei que um dia haverá recompensa, entretanto, há que viver a vida... porque ser feliz depende apenas de cada um de nós. e só se desejarmos o que não temos é que a vida se torna mais escura.
muitas felicidades

Sandra Neves disse...

É verdade, as datas marcam-nos porque a infertilidade nos marca e muito, mas acredito que o teu dia chegará e quanto à tua ideia de que chegou o dia da análise e sentis-te que não conseguiste, isso não é verdade, vocês fizeram tudo, infelizmente a estrelinha é que não brilhou, eu acho que é preciso é ter sorte.
Beijinhos
Sandra

Carla disse...

minha amiga,

a nossa mente tem destas coisas e faz-nos recordar por meio de datas, certas músicas, cheiros, espaços... aquilo que nos é ou foi marcante.
Sinto-te com energia e com uma atitude bastante amadurecida em relação à vida sem filhos. Acho que tens conseguido contornar de forma inteligente e saudável o problema da infertilidade.
Aproveita a vida, que o rebento irá concerteza surgir, não duvides.
Por vezes, não vem quando nós queremos, mas vem... de uma forma ou outra! Até lá, carpe diem ;)
beijinho grande
Carla

Susana Pina disse...

Quem de dera ter a tua força, e ser capaz de parar...
Infelizmente as datas persseguem-nos, embora já não me lembre de datas de punções ou transferencias, porque seriam muitas para decorar durante anos, mas lembro-me perfeitamente das datas de uma das punções e da transferencia, e da beta e das ecografias e da perda das filhas que tanto e custou a conseguir. Essas datas tenho-as sempre presentes na minha memória e nunca as irei esquecer.
Uma beijoca muito grande e amiga, se consegues vive a vida, assim como tão bem referes, sem pressas, datas marcadas, objectivos para cumprir com tempo cronometrado.
Susana

Sónia e MI disse...

Existem datas que nos marcam e por nós irão ser sempre lembradas.
Deixo-te um beijinho grande.