domingo, setembro 23, 2007

Silenciosa e corrosiva

Os dois últimos dias têm sido banhados pelas minhas lágrimas. Já me estava a sentir melhor, mas ao mínimo abalo, tudo cai por terra, como se de um prédio em ruínas se tratasse.
Chorei muito e dentro de mim sentia sempre a mesma dor sufocante, que me apertava. Apeteceu-me gritar, partir coisas, mas não fiz nada disso. Calei a voz e a fúria da dor dentro de mim e deixei que as minhas lágrimas as levassem. Tudo isto fez com que reflectisse sobre o assunto. Não se lida com a infertilidade. Na verdade, estamos sempre a tentar fugir-lhe todos os anos, meses, dias... Mesmo quando sabemos que a situação é irreversível, a esperança edifica-se na nossa alma, recusamo-nos a acreditar que é o fim, que temos de lidar com essa situação. Achamos sempre que há uma pequenina possibilidade de termos um filho nosso. Agarramo-nos com força à mínima percentagem que os médicos nos oferecem e esperamos. Penso que com os anos nos habituamos à ideia, mas não conseguimos lidar com ela. Limitamo-nos a escondê-la bem no fundo dos nossos corações, esperando que desapareça.
É isto que eu penso sobre a infertilidade, essa dor silenciosa e corrosiva.

12 comentários:

Camy disse...

Querida, concordo em tudo contigo.
Mas, não podemos desistir, temos que lutar SEMPRE, um dia teremos a nossa recompensa

Um beijo

Camy

Tixa disse...

É verdade...mas acredito que temos de lutar, a dor é terrivel mas move-nos em frente, porque temos de acreditar!!!! Acredita!!!! Sempre!!!!
E chora, porque as lágrimas lavam a alma (quem me dera conseguir...).
Um bj enorme

Mara disse...

Com os anos não só te habituas á ideia como "secas". Por situações muito distintas, hoje sou uma pessoa diferente, seca por fora, mas com grandes magoas interiores.
Não tenho mais lágrimas para chorar.
... ás vezes nem com a morte de alguns familiares...
Eu faço o mesmo que tu... escondo no fundo do coração todos os problemas, angustias... á espera que desapareçam.
Mas não podemos virar as costas. Temos de ser mais fortes que tudo o resto.
Força amiga!
Tudo o que precisares, estamos aqui a teu lado para te levantar essa cabeça sempre que ela caia...

kitty disse...

Sim, tens razão...
No entanto as minhas lágrimas não caem...

Beijinho

Nykita disse...

é dificil, aceitar-mos a infertelidade por mais provas k tenha-mos k ñ conseguimos naturalmente ,dentro de nós há sempre uma esperançazita k nos currói a cada mes k passa...
Mas.....

O FUTURO PERTENCE ÁQUELES K ACREDITAM NA BELEZA DOS SEUS SONHOS!!!

bjts gands xeio de miminhos e forças

TC disse...

Como te compreendo, eu que também não aceito!
Hoje não sou a melhor pessoa para deixar uma palavra de alento, mas deixo um abraço, bem apertado, e a certeza de voltar em breve.
Um beijo.

IC disse...

beijinho grande ;O(

Ana disse...

Eu pensava que já nada me podia dar um filho... rendi-me e deixei-me invadir pela tristeza e... o resto chama-se Leonor...
Não te posso dizer mais nada senão que os milagres existem!

Beijocas ENORMES :***

Maria disse...

Sei bem o que sentes. Podes dizer que tenho meu filhote, mas o peso da infertilidade está sempre comigo. Pensei que para o 2º ia ser mais fácil, mas não, não é mesmo.

Mas a esperança é a ultima a morrer e acredito que o teu sonho se irá realizar brevemente.

Beijocas muitas

Maria Pereira

www.era1xeu.blogs.sapo.pt

Anónimo disse...

Acredite... A ESPERANÇA É A ULTIMA A MORRER... Acredita AMIGA...

Isis disse...

Ui! Como compreendo cada um destes sentimentos...tem-me apetecido chorar e razões não me faltam mas não tenho conseguido, estranho né? Agora tenho de me manter forte até ver.
Beijo grande
Isis

Anónimo disse...

o que eu estava procurando, obrigado