terça-feira, janeiro 08, 2008

Os livros



Num exemplar das Geórgicas


Os livros. A sua cálida,

terna, serena pele. Amorosa

companhia. Dispostos sempre

a partilhar o sol

das suas águas. Tão dóceis,

tão calados, tão leais,

tão luminosos na sua

branca e vegetal e cerrada

melancolia. Amados

como nenhuns outros companheiros

da alma. Tão musicais

no fluvial e transbordante

ardor de cada dia.


Eugénio de Andrade, Ofício da Paciência


Ontem lembrei-me deste poema, que adoro e lembrei-me de uma aula na Universidade com uma professora de quem gostava muito, que nos leu um dia este poema. Eu adoro ler e este poeta com a sua linguagem tão bela e metafórica sintetiza o que eu sinto por esses "companheiros da alma". Sem livros, sem histórias, a minha vida seria tão vazia... Já em criança tinha esta paixão pelos livros, pois quando ia a algum sítio com os meus pais, enquanto as outras crianças levavam brinquedos, eu levava um livro debaixo do braço. Sonhava com as histórias que estava a ler, imaginava que fazia parte delas. Ainda hoje sou um pouco assim, embora menos inocente. Agora já sei que é impossível fazer parte de um livro ou fazer com que a história descrita no livro se torne realidade!


Que pena, não é? Enfim...

6 comentários:

Sandra Neves disse...

Mas nada nos impede de sonhar...e de acreditar que as histórias podem acontecer...
Beijinhos Grandes
Sandra

Mara disse...

Tens uma miminho para ti no meu blog, passa por lá!
Beijocas

Carla disse...

Linda...
as boas memórias quando nos acompanham.. quer seja de um livro, uma música, aquele perfume... são preciosos. Trá-los como âncoras nos momentos menos bons, quando vem aquele pensamento desconfortável, gritante ;)

Beijinho

Mara disse...

Sabes eu na adolescencia só lia aquelas histórias da Bianca e assim, sabes? (histórias de principes encantados)...
Aprendi uma coisa... Nós vivemos dos sonhos, o que era de nós sem eles?
Sonha, sonha muito... faz-nos feliz e isso é bom!

Barriguitas disse...

Querida amiga,

Não tenhas pena de não viver as histórias que lês, lembra-te que estás a viver a tua história, mais ninguém a pode viver.

Desejo-te um excelente 2008!

Beijinhos.

masterdomo disse...

Sensibilizou-me o seu blog

Desejo-lhe toda a sorte deste mundo. Não corra atras de hipoteses: elas virão ter consigo.

cumpts,

Master